quarta-feira, 30 de abril de 2014

Black Metal x Punk: baterista é esfaqueado em São Paulo e banda cancela show

                                   Noticia de Combaterock
Marcelo Moreira

Os sombrios tempos briga de gangues armadas no rock brasileiro parece que estão de voltas, como período turvo do início dos anos 80. De forma sucinta e sem rodeios, a banda de black metal Amazarak, de São Paulo, comunicou fãs e imprensa que o show que deveria fazer neste fim de semana foi cancelado devido um ataque pessoal sofrido pelo baterista Felipe Impaler no último sábado. a banda participaria de um festival de black metal no Fofinho Rock Bar, na zona leste, no próximo domingo, abrindo para a banda inglesa Scutum Crux.

Segundo o comunicado, o músico passeava à noite pela região da rua Augusta, no bairro da Bela Vista, em São Paulo, ao lado da namorada e de uma amiga, quando foi atacado por um grupo de pelo menos dez punks que bebiam em um bar numa esquina. Sem tempo para reagir ou se defender, Felipe Impaler e as duas meninas foram brutalmente espancados, sendo que o baterista foi esfaqueado e a namorada teve o nariz quebrado por chutes. Após dois dias internado, Impaler passa bem e já saiu do hospital.

Segundo Thiago Anduscias, guitarrista do Amazarak, o baterista, que é careca, foi confundido com integrantes de outra facção punk (provavelmente skinheads ou algum grupo derivado dos Carecas de Subúrbio). “Foi uma grande covardia. Eram muitos e não tiveram dó de agredir gente desavisada e pacífica. Bateram em meninas, isso é um absurdo.''

Felipe ainda está bem machucado, mas não se conforma com as agressões gratuitas às meninas. “É incrível a covardia de tais vermes.  Não sei dizer ao certo quantos eram, mas era uma penca. O que me deixa mais puto é o fato de terem agredido minha mina e minha amiga. Quem bate em mulher é lixo, não tem um pingo de honra e vergonha na cara. Sabia que ia apanhar, mas tinha que defender a gente de alguma maneira'', escreveu o músico em sua página no Facebook.

O músico ainda não fez boletim de ocorrência, e nem sabe se vai fazer. O ataque dos punks reforça a imagem de violência que cerca a região da rua Augusta, do lado do centro de São Paulo, na Bela Vista.
_________________________________________________________________
Fonte:http://combaterock.blogosfera.uol.com.br/2014/04/30/metal-x-punk-baterista-e-esfaqueado-em-sp-e-banda-cancela-show/



7 comentários:

  1. Covardia é uma das atitudes mais defecada de uma pessoa ou grupo.

    ResponderExcluir
  2. FABIO RIBEIRO(HELL SPYKEE)13 de maio de 2014 11:34

    vida social é isso mesmo, só violencia. o cara que quer ter vida social, ele corre dois riscos, o risco de morrer sendo espancado por vários, ou o risco de parar na prisão por matar em legítima defesa. a verdade é que não compensa ter vida social, por isso eu aderi ao isolamento social como filosofia de vida, e por isso mesmo o black metal deixou de ser meu estilo principal, uma vez que o black metal ta totalmente ligado ao satanismo e ao nazismo, não combina com caras que tem um comportamento digamos que ''asceta'' como eu tenho. eu sou influenciado por nessahan alita, pelo desapego, entao eu vou na contramão do esoterismo mangina do nazismo e na contramão da vida de indulgencia dos satanistas. hoje em dia meio que foco em todos os estilos de metal, death metal, black metal, thrash metal, doom metal speed metal power metal, heavy metal, porem sem ter o black metal como paragon.

    nos eua tem um movimento de caras que se intitulam machos zetas, eles boicotam completamente a vida social, as baladas, as festas etc preferem ser solitários e pega-ninguem. eu sigo esse movimento. eu ate ando com facas pra me defender, mas eu sei que a prisaõ é puro inferno, entao eu prefiro não ter vida social e ser pega-ninguem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredite se quiser mas black metal não é um movimentos nazista, o próprio Euronymous fazia parte de um grupo de extrema esquerda,esse foi um dos motivos por Varg matar ele, em partes mais você não pode dizer que é totalmente ligado...

      Excluir
    2. euronymous em 1993 percebeu que o comunismo era um lixo e começou a pender pro fascismo, mas nem tanto assim, ele foi numa cartonamente medium e ela previu que varg iria mata-lo. ele ficou com uma profunda depressão na época e começou a pender mais pro black/doom metal, ele sabia que ia morrer.

      o satanismo ta ligado ao nazismo, uma vez que ambas as idologias são anti-cosmicas, se rebelam contra as leis karmicas e a lei da reencarnação. entao tipo, o black metal ta conectado a isso. eu não me vejo mais como parte do estilo. eu ouço todos os tipos de metal, no inverno é melhor pra ouvir doom metal e suas vertentes, pois o doom é um estilo mais introspectivo e frio. thrash metal fica melhor pro verão.

      Excluir
    3. eu vejo o heavy metal de duas formas. ou é a música de satanás(ou seja, música anti-cosmica) ou é a música misantropica.

      no caso do satanismo, o cara precisa ser uma pessoa perfeita pra ser satanista, as vezes o cara nem pode levar o estilo de vida heavy metal sendo satanista porque se o cara segue o gnosticismo do satanismo que é uma gnose que veio dos ofídios. o cara precisa ser comedor fodalhão, comer mulheres etc aí o estilo de vida heavy metal o atrapalharia nesse caso, pois mulheres dentro do heavy metal são uma minoria, e as bonitas que estão no meio, só querem os mais destacados, os que tão nas bandas mais conhecidas.

      a outra forma que eu vejo o heavy metal, é como eu sigo, sigo como se fosse um estilo de misantropia/isolamento social. que é mais pé no chão do que o satanismo. eu percebo que na época da escola(a 12 anos atras) eu era um cara isolado socialmente pois o fato de eu usar uma camisa de banda de heavy metal causa repudio nas pessoas. e hoje em dia voltei ao isolamento social nos ultimos anos e hoje em dia percebo mais ainda como o heavy metal é uma música misantropica, ainda mais porque é um estilo de musica odiado e repudiado pela sociedade. qualquer headbanger que por exemplo, entre numa faculdade, se recusa a participar do trote, se recusa a fazer amigos, ele se torna extremamente odiado. e esse tipo de personalidade é exatamente minha personalidade. os próprios satanistas tem repudio por minha personalidade porque eles acham que é coisa de fracassado sub-humano. entao o satanista pra ser satanista nem sequer segue o estilo de vida heavy metal. pra mim heavy metal é pura misantropia, ódio a todos, isolamento social. mas claro, eu não to me referindo a bandas mega famosas como iron maiden e metallica. eu me refiro ao underground, bandas como nekroholocaust(usa), mysticum, clandestine blaze, etc eu vivo pra isso. e pra misantropia. gosto de filosofia pessimista tambem e acho que schopenhauer foi o melhor dos filosofos, pois o pensamento pessimista dele bate completamente com o meu. e o pensamento dele combina com o pessimismo do doom metal. gosto de death/doom como o primeiro album do asphyx por exemplo, tambem gosto dos dois primeiros do the gathering, e das duas primeiras demos do graveland que eram bem diferentes do resto da discografia.

      Excluir
    4. Olá Fabio Ribeiro vc é o misantropo da real li seus textos e achei muito interessante vc ter mencionado a misantropia como opção de vida,me identifiquei muito com seus textos e coisas que também aconteceram comigo,gostaria muito de ser seu amigo,vc tem orkut ou facebook pois gostaria de trocar conhecimento sobre misantropia com quem adota essa opção de vida.

      Excluir